Associados


A União dos Dirigentes Municipais de Educação de Santa Catarina – UNDIME/SC, há mais de trinta anos reúne os responsáveis pelos órgãos municipais de educação, com o objetivo principal de defender os interesses e a qualidade da educação municipal.

O papel da Undime-SC é fortalecer as administrações e dirigentes municipais na área da Educação para garantir expansão e melhoria da qualidade do ensino na Escola Pública Municipal.

Logo, quando o tema é educação pública, a Undime está sempre presente. Seja na educação infantil, de jovens e adultos, campo, indígena, quilombola, ensino fundamental, alfabetização, educação inclusiva ou na educação para a paz. Temas como carreira e formação dos trabalhadores em educação, gestão democrática, políticas públicas sociais, articulação com os governos, a sociedade, a família, a criança e o jovem estão constantemente em pauta.

Tendo sua sede nacional em Brasília, a entidade se faz representar em todos os estados, por meio de suas seccionais, no nosso caso, da União dos Dirigentes Municipais de Educação do Estado de Santa Catarina.

A Undime-SC é uma entidade que se faz representar nos 5570 municípios brasileiros, isso significa que esta representada nos 295 municípios de Santa Catarina, visto que cada Dirigente Municipal de Educação é membro nato. Essa capilaridade, esse poder de intervenção são nossos maiores bens, característica, essa, considerada e respeitada por nossos parceiros.

Sempre manifestando nossa opinião sobre as políticas educacionais, questionando seus critérios, exigindo reformulações, cobrando ativa participação nas decisões, a UNDIME articula e apóia os interesses da educação pública municipal. Dessa forma, integramos os DME no processo decisório, rompendo o isolamento e levando o debate para cada município e destes para as outras esferas de governo.

E importante lembrar que para o desenvolvimento de todas essas atividades, a Undime necessita de uma sustentação, essa auto-sustentação provêem do recolhimento das anuidades pagas pelos municípios. Do montante recolhido, 20% são repassados à nacional e 80% permanecem na seccional. A base de cálculo é por meio de faixas populacionais.