Copa do Mundo vira aprendizado no C.E.M Antônio Francisco Machado, em Forquilhinha

3

O futebol se tornou uma cultura no nosso país e é jogado por qualquer pessoa e em qualquer lugar.

Crianças fazem de uma latinha amassada, a bola e de um par de chinelos, traves, e cada um do seu jeito, conseguem praticar o esporte.

A paixão dos brasileiros pelo futebol é muito grande e às vezes até discutem por causa de times. Parece que o brasileiro nasce com a bola no pé.

Quando Charles Miller trouxe o futebol para o Brasil, o esporte só era praticado pela sociedade mais favorecida. O povo não tinha acesso, mas com o tempo isso foi mudando e hoje todos jogam, assistem, estudam e amam esta prática esportiva. 1

O desenvolvimento deste projeto, no Centro Educacional Municipal Antônio Francisco Machado, em Forquilhinha, está mostrando para os alunos a diferenças existentes entre os países, em relação à cultura, costumes e tradições.

Segundo a diretora da unidade, professora Sônia Madalena Ferronatto da Silva, o trabalho desenvolvido tem uma proposta interdisciplinar, buscando desenvolver diversos conhecimentos, pois o futebol tem um grande espaço em nossa cultura e é preciso lembrar que um evento como a Copa, neste ano acontecendo no Brasil, além de reunir vários povos, promoverá a queda das diferenças discriminatórias como: raça, religião, classe social, etc.

Atrelando a interação existente da equipe pedagógica da instituição com os professores, quanto dos cursos de formação continuada que vêm acontecendo na Casa do Educador, como também, a aplicabilidade da hora atividade no coletivo, esta realizada na Unidade Escolar, chegou-se a conclusão que o primeiro movimento sobre o projeto Copa do Mundo-2014 foi sortear entre as turmas o nome dos países que cada uma iria trabalhar, tendo como tarefa primeira, a confecção da bandeira.

Com os 32 países sorteados, as turmas iniciaram o trabalho de pesquisa. Junto com os professores delimitou-se a pesquisa: comidas típicas, monumentos históricos, costumes, moeda e bandeira.

O trabalho foi desenvolvido com muito entusiasmo. Além de pesquisas em jornais, mídias, revistas, também utilizaram as aulas de informática, pesquisando em sites específicos do país e da própria FIFA.

De acordo com a diretora, a interdisciplinaridade envolveu além dos educadores de sala de aula, as supervisoras e orientadoras, sem esquecer os professores de Educação Física e Inglês. Este último, de suma importância, até porque, vídeos na língua do país sorteado foram selecionados pelos alunos, no qual o professor foi o intérprete, oferecendo assim subsídios cognitivos às turmas.

Essas descobertas influenciaram as discussões, as quais foram realizadas entre os alunos, pois fizeram comparações, levantaram hipóteses, enfim, argumentos a respeito deste evento, que é Mundial.

2

Com as bandeiras confeccionadas, organizou-se um grande mural no hall de entrada da escola, vistos nas fotos obtidas pelos próprios educandos. Ainda, como parte do projeto, os alunos vieram, na abertura da Copa do Mundo, com camisetas do Brasil formando assim, uma grande torcida pela seleção brasileira.

Na escola, está sendo confeccionado um grande mural com o placar de todos os jogos e, todos os dias, uma turma irá atualizá-lo com os resultados.

É importante salientar que, todo este processo cognitivo acontecerá no período da realização da Copa do Mundo. Ao mesmo tempo, levando em consideração o interesse e o entusiasmo, tanto dos educandos como dos educadores, constatou-se a necessidade da continuidade. Agora, os alunos poderão conhecer os países que ficaram fora desta competição, sem dúvida nenhuma é mais um passo importante no processo de conhecimento e reconhecimento, que vai além das nossas fronteiras.

Fonte: SME de São José.

Compartilhe: