Estados e municípios vão contribuir com a Base Nacional da Profissão Docente

Nesta terça (9) e quarta-feira (10) a Undime marcou presença no 1º encontro da Frente de trabalho intitulada Base Nacional da Profissão Docente.  O evento aconteceu em Brasília e teve por objetivo iniciar o processo de construção de uma proposta de Base Comum para os professores.

O documento será elaborado por representantes do Conselho Nacional de Secretários (Consed), Undime e Ministério da Educação (MEC).

Na nova frente, a Undime está representada por dirigentes das cinco regiões do País. Pelo Norte, a professora Jemima Gertrudes Barreira Cavalcante, Dirigente Municipal de Educação (DME) de Ponte Alta do Tocantins (TO); pelo Nordeste, a Ana Dayse Rezende Dorea, DME de Maceió (AL); Paulo Madson Vieira da Silva, DME de Santa Rita do Trivelato (MT), pela região Centro-Oeste; pelo Sudeste, Luiz Miguel Garcia, DME de Sud Mennucci (SP); e Sônia Regina Victorino Fachini, DME de Joinville (SC), representou o Sul.

Em dezembro de 2018, o MEC chegou a apresentar uma proposta da Base Nacional Comum da Formação de professores da educação básica. O documento foi enviado para análise do Conselho Nacional de Educação (CNE). A proposta agora é utilizar esse e outros documentos como referência para a construção de um texto para a Base da Formação Docente.

Luiz Miguel, que também é presidente da Undime São Paulo, contou que a proposta do grupo de trabalho é realizar, inicialmente, escutas de professores tidos como referência para identificar pontos comuns desses profissionais, criar um perfil deles e, a partir daí, construir uma primeira versão da Base. “A ideia é que esse documento seja amplamente divulgado e que possamos discuti-lo em audiências públicas”, disse.

Esse foi o primeiro encontro do grupo. A próxima reunião está marcada para setembro e a intenção é que até o fim do ano o grupo apresente um documento piloto.

“As discussões foram excelentes durante esses dois dias”, avaliou Sônia Regina, DME de Joinville (SC). Para ela, o grande saldo é que “nesse regime de colaboração que estamos pensando a construção da Base Docente, podemos perceber a sensação de pertencimento de todos nós nessa ação coletiva”.

Para a secretária de Educação do Estado de Roraima e coordenadora da frente, representando o Consed, Leila Perussolo, a expectativa do documento é mostrar a real necessidade dos professores. “É preciso atender a formação continuada das nossas escolas e ter como foco a aprendizagem dos nossos alunos”.

Apoiadora técnica da nova frente de trabalho, a líder do movimento Profissão Docente, Carolina Tavares, destacou que o documento deve apresentar os desafios que os professores podem enfrentar no século 21, principalmente com a implementação da Base Nacional Comum Curricular, aprovada em 2017/18. “Estamos muito empolgados com o produto que pode vir desse trabalho que está sendo realizado por um grupo maravilhoso”, disse.

Fonte: Undime com informações do Consed/ Foto: Consed