“Falta de adesão nas discussões sobre o Fundeb preocupam”, diz especialista André Pinheiro de Carvalho

Especialista André Pinheiro de Carvalho ministra palestra sobre Financiamento da Educação e Fundeb

O 17 ° Fórum Ordinário da Undime-SC contou com a a palestra “Financiamento da Educação e Fundeb”, proferida por André Pinheiro de Carvalho, do Conviva Educação. O especialista fez um panorama da situação educacional no País, onde praticamente todos os Estados dependem do Fundeb para dar continuidade aos projetos. O apelo é por maior adesão à discussão por parte dos profissionais.

Nos últimos anos, criou-se uma expectativa do ponto de vista do financiamento da educação. Algumas dessas expectativas foram cumpridas e os municípios ganharam muito com o Fundeb, explicou André. “Paralelamente, houve uma legislação federal, a Lei do Piso Salarial Nacional, e as legislações locais, que observaram evoluções nas despesas nos últimos dez anos e infelizmente o Fundeb não acompanhou esse crescimento”.

Ele pontua que o Fundeb é a principal fonte de receita da educação, mas que não acompanhou a evolução das carreiras dos profissionais. “Sequer acompanhou a inflação”, disse.

Há a sensação de esgotamento. “O Fundeb criou uma expectativa otimista no início, mas hoje financeiramente falando ele está esgotado. O cenário é de dificuldade, pois a principal verba é insuficiente para fazer custeio, incentivar a carreira, fazer investimentos, construir creches e escolas”, contou.

Para André, um dos pontos chaves para a valorização do novo Fundeb é o entendimento e engajamento por parte dos profissionais, já que o momento é de discussão.

“Nem espectadores estamos sendo. A PEC mais adiantada é de 2015, já se vão quatro anos. E nos eventos que temos oportunidade de participar a adesão é muito pouca. Notamos um desconhecimento quase que completo na discussão desse novo Fundeb, e é preocupante”, lamentou.

O especialista defende maior adesão dos dirigentes Municipais de Educação, entidades e dos próprios profissionais de ponta, como os professores. “Precisam aderir mais essa discussão”, enfatizou.

 

Undime-SC