‘Não basta ampliar o número de vagas na Educação Infantil sem garantir a qualidade de atendimento’, defende presidente no 4º Simpósio Nacional de Educação

Em painel sobre acesso à Educação Infantil, financiamento e qualidade, Lueders ressalta que é fundamental oferecer nas unidades o que é currículo da Primeira Infância.

‘Acesso à Educação Infantil, financiamento e padrão de qualidade’ foi tema de painel do 4º Simpósio Nacional de Educação (Sined) e 3º Encontro Nacional de Promotores e Promotoras de Justiça da Educação, nesta quinta-feira, 11, composto pela presidente da Undime/SC e Região Sul, Patrícia Lueders, dirigente municipal de Educação de Blumenau/SC. Concentrando-se em tratar da qualidade do acesso às creches e pré-escolas, Lueders frisou a necessidade de garantir que a criança seja protagonista em seu aprendizado, aplicando nas unidades escolares o que é currículo da Primeira Infância.

Lueders apresentou um panorama sobre o acesso à Educação Infantil no país e na rede municipal catarinense, apontando possibilidades para que municípios otimizem a oferta de vagas nas creches e pré-escolas, entre elas, o fortalecimento da gestão articulada e intersetorial com órgãos relacionados à área, a realização de diagnósticos eficazes que mapeiem a demanda de crianças que estão sem atendimento e o aprimoramento dos processos de matrícula.

Para além da ampliação do número de vagas, porém, Lueders ressalta que é essencial garantir a qualidade da oferta. “Não basta ampliar o número de vagas na Educação Infantil sem garantir a qualidade de atendimento. Qualidade não é somente oferecer alimentação. É garantir a oferta do que realmente é currículo da Primeira Infância, sobretudo, as interações e a brincadeira, sem antecipar o Ensino Fundamental”.

Considerando que o Brasil figura entre os países com legislação mais avançada quando o assunto é Primeira Infância, a presidente ressalta que não há qualidade na Educação Infantil se não é permitido à criança ser protagonista de seu próprio aprendizado. “Não temos como pensar em currículo enquanto a criança não vivencia e experimenta. Não há qualidade na Educação Infantil se o professor não oportuniza a experimentação e a vivência”.

Ao afirmar que as lembranças são parte da infância e a Educação deve, também, oportunizá-las, aponta a mudança das rotinas com o olhar voltado à criança como um processo importante. “As crianças ficam muito tempo na Educação Infantil, de 10 a 12 horas. A rotina ‘rotineira’ é difícil tanto para os pequenos quanto para os próprios professores. Precisamos nos perguntar: quais são as memórias afetivas que estamos oferecendo às crianças que estão frequentando os espaços institucionais?”.

Para finalizar a apresentação, exibiu um videoclipe de Blumenau/SC, no qual apresenta as vivências nos Centros de Educação Infantil do município, e encerrou sua fala com uma frase do poeta brasileiro Mário Quintana: “as crianças não brincam de brincar. As crianças brincam de verdade“.

Painel
Ao convidar a presidente da Undime/SC para dar início à sua fala, o mediador do painel, promotor de Justiça e coordenador do Centro de Apoio Operacional da Infância, Juventude e Educação do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), João Botega, destacou o papel da Undime na agenda da Educação no Estado e a importante liderança da presidência. “Gostaria, primeiro, de parabenizar e reconhecer o trabalho da Undime, de reconhecer a sua liderança não só em Santa Catarina, mas no Brasil. Toda a abertura e parceria que temos construído é fruto de um diálogo incessante. Quase que diariamente estamos dialogando, levando as pautas pros municípios, e dos municípios para os estados, dos estados para a União”.

Também compuseram o painel a presidente-executiva do Instituto Articule, Alessandra Gotti, e a professora da Universidade Federal do Paraná, Adriana Silveira. Realizado em conjunto pelo MPSC e o Tribunal de Contas do Estado (TCE/SC) na Assembleia Legislativa, em Florianópolis/SC, nos dias 9, 10 e 11 de agosto, o evento teve transmissão na íntegra pelo YouTube. Assista à palestra a partir do tempo 3h21:


Assessoria de Comunicação da Undime/SC

Compartilhe: