O papel do governo, das empresas e das plataformas de tecnologia em garantir experiências positivas no ambiente digital para as crianças é tema de ciclo de conversas online realizado pelo Instituto Alana

Debates serão realizados nos dias 7 e 14 de agosto

O Instituto Alana promove o último ciclo do evento Ser criança no mundo digital – série de conversas online, com o apoio do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), da SaferNet e do portal Lunetas, nos dias 7 e 14 de agosto. As conversas têm como objetivo propor reflexões sobre as oportunidades e desafios da relação das crianças e adolescentes frente à internet. Como contribuição para o debate, o Lunetas dá continuidade a publicação do Especial: Um olhar sobre as infâncias conectadas, que reúne uma produção inédita de vídeos com depoimentos de crianças de todo o Brasil sobre sua relação com o ambiente digital.

O evento online, Ser criança no mundo digital, trouxe nas primeiras conversas temas relacionados ao uso da tecnologia por crianças e adolescentes e o papel da família e da educação nesta relação. No último ciclo, as conversas serão sobre o papel do Estado, das empresas e das plataformas de tecnologia. Os diálogos têm recursos de acessibilidade (intérprete de Libras e legenda em tempo real) e serão transmitidos pelo canal do Instituto Alana no Youtube.

Ser criança no mundo digital – próximas conversas

“Como garantir os direitos das crianças no mundo digital?” será o tema da conversa do dia 7 de agosto, às 17h. Nesse dia, os convidados falarão sobre a responsabilidade também de governo e empresas de tecnologia de assegurar a proteção dos direitos das crianças no ambiente digital e, assim, proporcionar uma experiência digital ética, segura e criativa para toda criança. Participam Marina Pita, coordenadora do Intervozes, e Paulo Rená, mestre em Direito e professor universitário. Renata Assumpção, responsável pelos estudos de desigualdade e infâncias do Instituto Alana, fará a mediação do diálogo.

Para encerrar a série, no dia 14 de agosto, às 17h, a conversa será sobre a necessidade de garantir a proteção das crianças frente à violências e exploração de todo tipo, inclusive comercial. Com o tema “Exploração comercial da criança no mundo digital” participam Danilo Doneda, advogado e professor, e Kelli Angelini, mestre em Direito Civil pela PUCSP e gerente da Assessoria Jurídica do NIC.br. A mediação será com Isabella Henriques, advogada e diretora executiva do Instituto Alana.

A programação completa está disponível em sercrianca.alana.org.br

Fonte: Instituto Alana com adaptações