Seminário aprofunda estudo do Currículo Base do Território Catarinense

Mais de 500 educadores participam do encontro formativo nesta semana, no Hotel Golden, em São José (SC)

De 24 a 26 de junho, gestores e professores da rede pública municipal e estadual de ensino serão apresentados aos componentes curriculares e modalidades do novo Currículo Base da Educação Infantil e Ensino Fundamental do Território Catarinense, com objetivo de prepará-los para atuar como agentes multiplicadores do documento, aprovado no último dia 17 pelo Conselho Estadual de Educação, que servirá de referência às escolas de Santa Catarina.

O evento integra o Ciclo de Seminários previstos para implementação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) nos estados. Em Santa Catarina serão em três momentos. O primeiro foi direcionado a construção do Currículo do Território Catarinense, alinhado as diretrizes propostas pela BNCC, já esta segunda edição possui caráter formativo, na qual os multiplicadores terão a visão geral do conjunto, divididos em seis grupos de trabalho. Uma organização que, segundo a coordenadora do grupo de consultores Cássia Ferri, trará a experiência de aprofundar o estudo do documento por meio de dinâmicas.

Para o terceiro Seminário “A perspectiva é abordar a avaliação, a alfabetização, e questões relacionadas à organização por áreas do conhecimento, além de oportunizar momentos de discussões em que os participantes possam interagir sobre a continuidade do processo em seus municípios”, explica Cássia Ferri.

Melania Zulian Fiorentin veio de Xanxerê para participar do evento, e vê na ocasião uma forma de difundir o conhecimento, de pensar em novas práticas de ensinar com diversidade. “Os conteúdos estão no papel, o que a gente precisa mudar é a forma de interagir com eles, fazer com que o professor visualize o currículo como um todo e consiga promover a integração entre as disciplinas, séries e as práticas pedagógicas numa proposta diferenciada.

A ideia do novo referencial é reafirmar que a criança é protagonista do seu tempo de infância, trazendo uma perspectiva de progressão, no sentido de um percurso formativo, no qual se inicia na educação Infantil e perpetua no ensino fundamental e médio. Para a redatora da educação infantil de Blumenau, Rosana Wendertich, “é a possibilidade do professor avaliar a proposta e lançar um novo olhar para sua ação pedagógica”.

O Currículo Base da Educação Infantil e Ensino Fundamental de Santa Catarina foi construído em regime de colaboração entre a União dos Dirigentes Municipais de Santa Catarina – UNDIME/SC, Secretaria de Estado de Educação – SED, União Nacional de Conselhos Municipais de Educação – UNCME, Conselho Estadual de Educação – CEE e Federação Catarinense de Municípios – FECAM, e está em consonância com a determinação do Ministério da Educação, que prevê um currículo essencial alinhado à BNCC que, por sua vez, incorporado aos documentos e diretrizes já constituídos por cada município, seja capaz de garantir a equidade dos estudantes brasileiros.

A expectativa é que o novo currículo esteja em aplicabilidade nas escolas das redes municipal e estadual catarinense até 2020. Para isso, se faz necessário o empenho dos profissionais envolvidos com a implementação no Estado. “Vencemos as primeiras etapas com a participação ativa dos professores na elaboração do documento e sua, posterior, aprovação pelo Conselho Estadual de Educação. Agora, caminhamos para a reta final, com as capacitações e mobilização das redes de ensino, para pôr em prática o que está no papel. Espero que o fruto desse trabalho venha ser colhido em um futuro próximo, beneficiando milhares de estudantes”, conclui a coordenadora Estadual de Implementação da Base, Sônia Victorino Fachini.

O documento referência está em edição final e deve chegar as escolas municipais e estaduais de Santa Catarina a partir do dia 17 de julho. O prazo acompanha a entrega da versão diagramada ao Conselho Estadual de Educação, assim como sua divulgação na página da Undime-SC para consulta e download.

Veja o que outros participantes falaram sobre o Seminário:

Não basta se ter uma proposta de currículo nós precisamos com que ela seja bem aplicada, por isso considero esta bagagem relevante pra desempenhar bem o nosso papel nas regiões – Sueli Suttili / Chapecó.

Esta formação tem nos permitido compreender a necessidade do movimento aspiral, de alcançar o que o estudante precisa saber no ano seguinte e o que estudou no ano anterior, pra que consigamos pensar a escola como ferramenta contínua de aprendizagem – Jéssica Ramos / Cocal do Sul.

 

Confira mais fotos:

 

Undime-SC