Socialização de experiências para a recuperação da aprendizagem é tema de Encontro com a Undime/SC

Os municípios de Tubarão e Flor do Sertão compartilharam práticas em bate-papo exclusivo nesta quinta, 10, voltado aos dirigentes de educação de municípios associados e às equipes das secretarias.

Numa dinâmica descontraída, o Encontro com a Undime/SC desta quinta-feira, 10, teve exposição das práticas implementadas pelas redes municipais de ensino de Tubarão e Flor do Sertão para a recuperação da aprendizagem. Voltada aos dirigentes de educação de municípios associados e equipes das secretarias, a live contou com transmissão ao vivo pelo canal no YouTube da Undime/SC.

A presidente da Undime/SC e Região Sul, Patrícia Lueders (DME de Blumenau/SC), que conduziu a abertura, lembrou que a temática do encontro surgiu de uma dúvida sobre reforço escolar compartilhada no grupo de WhatsApp da Undime/SC com os municípios associados. “A partir de uma pergunta, os gestores começaram a se manifestar e se colocar à disposição pra socializar as práticas de seus municípios. Um movimento admirável que reflete o que é a Undime de Santa Catarina, feita por e para profissionais dedicados que estão sempre em busca de aprimorar suas práticas locais e dispostos a socializar suas experiências pensando na melhoria da qualidade educacional do nosso estado”.

Para a assessora pedagógica da seccional catarinense, Sônia Fachini, que foi responsável pela mediação da live, “é motivo de felicidade verificar que, a todo momento, os dirigentes estão atentos com as necessidades dos seus municípios. Quando se trata de recuperar a aprendizagem, ter o olhar sensível e voltado pro atendimento da comunidade é indispensável”.

Socialização de experiências
“Gostaria de cumprimentar a diretoria da Undime, na pessoa da presidente, por fazer reverberar o bordão: Santa Catarina pode aprender com Santa Catarina”, iniciou o dirigente Municipal de Educação de Tubarão, Maurício da Silva. “Aqui no município, os professores aprendem com os próprios professores – a troca de experiências está contemplada no nosso planejamento”.

Sua explanação partiu de uma reflexão: “cumprir as leis e aumentar os investimentos, sozinhos, contribuem para que a recuperação melhore a aprendizagem?”, indagou Maurício, apontando, em seguida, que somente isso não é suficiente. “A recuperação é parte indissociável da avaliação e precisa ser acompanhada da intervenção. É necessário, portanto, completarmos o ciclo: instrumento de avaliação, diagnóstico e intervenção”.

O DME relata a experiência do município na implementação do projeto “Sucesso na escola, na vida e no trabalho”, que teve por objetivo a revitalização dos principais fatores que influenciam a aprendizagem. “A recuperação teve bastante destaque no planejamento que fizemos na Rede Municipal de Tubarão. Além da recuperação, instituímos o reforço no contraturno e inserção das famílias no processo de aprendizagem, criando mecanismos para que os responsáveis possam auxiliar seus filhos”.

Maurício complementa que o projeto político-pedagógico das escolas deve contemplar modalidades de recuperação – “correção coletiva com prova cumulativa, trabalho diversificado e monitorias”, conforme exemplifica -, e conclui sua apresentação retornando à pergunta inicial. “Não basta cumprir a lei e aumentar os investimentos. A recuperação contribui para melhorar a aprendizagem quando o professor tem um diagnóstico muito claro da aprendizagem de cada estudante”.

O dirigente Municipal de Educação de Flor do Sertão, Leandro Neuhaus, iniciou sua fala destacando as diferenças e similaridades com a experiência de Tubarão: “nosso município é pequeno, mas temos os mesmos problemas e procuramos avançar no mesmo sentido. Estamos preocupados em plantar sementes para o futuro. Esse é o objetivo comum da educação”.

Sobre as estratégias para a recuperação da aprendizagem, Leandro aponta duas principais preocupações do município: recuperar a defasagem e melhorar a aprendizagem como um todo. “Temos o desafio de minimizar o déficit e dar estratégias para os nossos professores de modo que todos os alunos possam evoluir no processo de aprendizagem”, afirma.

Pensando nisso, o município adquiriu uma solução tecnológica de reforço escolar que traz o conteúdo das disciplinas de Matemática e Português, alinhados à BNCC, de forma interativa e gamificada. “Notamos bastante interesse dos estudantes e foi possível identificar evolução nos resultados de aprendizagem”. Aponta que, para o próximo ano, a intenção é continuar utilizando o sistema.

Por Undime/SC

Compartilhe: