Trânsito é tema de formação de professores da rede municipal de ensino da Capital 

A capacitação ocorreu nesta terça-feira, no Centro de Educação Continuada da Secretaria Municipal de Educação

Filas nos acessos ao Sul e Norte da Ilha, nas pontes, fila dupla de carros na porta da escola, confusão na hora da entrada e da saída das crianças dos estabelecimentos de ensino. Nos deslocamentos da unidade educativa para casa, o zigue-zague no meio da rua atrapalha motoristas e põe em risco a vida  dos estudantes.

Acabar com essa falta de segurança pode parecer simples, bastaria chamar a fiscalização, mas não é só isso. Umas das soluções mais viáveis, passa pela conscientização de condutores de veículos e de pedestres sobre seus comportamentos e suas atitudes. Algumas das escolas da rede municipal de ensino de Florianópolis já introduziram trabalhos nessa área visando educar a comunidade como, também, despertar mudanças no comportamento dos adultos no trânsito.

Para provocar a reflexão dos profissionais que atuam com as crianças dos segundos anos do ensino fundamental foi realizada, nesta  terça-feira, 21, no Centro de Educação Continuada (CEC), da SME, uma capacitação com a professora Irene Rios, que é mestra em Educação e especialista em Meio Ambiente, Gestão e Segurança de Trânsito, com vasta experiência na docência e na temática do trânsito. Ela atua como Designer Educacional no LabTrans,  Laboratório de Transportes e Logística, da UFSC/DNIT, exercendo atividades no Programa Nacional de Educação para o Trânsito e no Projeto Escola: Percepção de Risco no Trânsito. Também é autora, dentre outras publicações, das obras “Guia Didático de Educação para o Trânsito” e a “Coleção Transitando com Segurança”, que foram apresentadas aos docentes.

O secretário Municipal de Educação, Mauricio Fernandes Pereira, sinaliza que esse assunto preocupa autoridades em todo o mundo, não apenas aqui em Florianópolis. “Buscando uma comunidade escolar cada vez mais consciente e, de acordo com a orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS), escolhemos a segurança no trânsito como tema da formação deste encontro”.

Comportamento do cidadão
Essa é mais uma das ações formativas da SME, além de um reforço para o calendário de atividades sobre o Maio Amarelo, que almeja provocar reflexões na sociedade mundial a respeito da conscientização de um transito mais seguro e humanizado, lembra  o professor Charles Schnorr, articulador das ações preventivas na Secretaria. Charles destaca que, a educação no trânsito por objetivo formar o comportamento do cidadão enquanto usuário das vias públicas na condição de pedestre, condutor ou passageiro, dialogando sobre suas responsabilidades e seus direitos.

Direitos,  deveres e riscos
Entre os assuntos, abordados na formação estão: Conhecer de forma lúdica e didática os locais de risco para brincadeiras e deslocamentos diários; a criança como pedestre; as formas, cores e os significados das placas mais utilizadas no trânsito, do semáforo, da faixa de pedestres e demais componentes das vias públicas.

Durante a oficina foram destacados, também, os direitos de motoristas e pedestres e fazer com que os professores vejam como trabalhar com as crianças em situações reais. O aprendizado já na educação fundamental faz com que a criança cresça com consciência, gerando uma mudança de comportamento e prevenindo acidentes.

 

Undime-SC – Com a contribuição da SME de Florianópolis