Undime seleciona empresas para avaliarem a estratégia Busca Ativa Escolar

Com a avaliação, pretende-se fazer uma retrospectiva do que foi realizado até o momento e fornecer conclusões e recomendações

A União Nacional dos Dirigente Municipais de Educação (Undime) tornou público nesta terça-feira (6), o Termo de Referência para contratação de  serviço de avaliação metodológica da estratégia Busca Ativa Escolar. A duração do serviço é de aproximadamente cinco meses, de abril a agosto de 2021.

A Busca Ativa Escolar foi implementada em junho de 2017 e, agora em 2021, passará por uma avaliação para identificar os principais ganhos, gargalos e aprendizados, visando aprimorá-la ainda mais. Pretende-se com o aprofundamento promover uma análise de resultados, que indique a eficiência e a eficácia da estratégia, bem como os desafios para a sua implementação.

A avaliação será retrospectiva, cobrindo o período de junho de 2017 a 2021, até a conclusão da coleta de dados, mas também será prospectiva ao fornecer conclusões e recomendações para aprimorar a estratégia, com foco na sua apropriação, implementação autônoma e sustentabilidade por parte de municípios e estados.

A proposta de análise visa a contratação de instituição para avaliação da Busca Ativa Escolar em seis dimensões: metodologia; ferramenta tecnológica e uso; regime de colaboração entre municípios e estados; intersetorialidade; interseções com a violência; e apoio da coordenação nacional.

O prazo máximo para recebimento das propostas e documentação exigida é até 16 e abril de 2021.

Clique e baixe o Termo de Referência para participar da seleção.

Busca Ativa Escolar

A Busca Ativa Escolar é uma estratégia composta por uma metodologia social e uma plataforma tecnológica gratuitas, lançada em junho de 2017, e que apoia municípios e estados no enfrentamento da exclusão escolar. Ela foi desenvolvida pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) em parceria com a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e com o apoio do Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social (Congemas) e do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems).

A proposta é apoiar os governos na identificação de crianças e adolescentes fora da escola; pesquisar os motivos que os levaram a essa situação; acionar os diversos serviços públicos da rede de proteção, como Saúde e Assistência Social; (re)matriculá-los e acompanhá-los dentro da escola. Por meio da Busca Ativa Escolar, municípios e estados podem ter acesso a dados concretos que possibilitam planejar, desenvolver e implementar políticas públicas que contribuam para a inclusão escolar e que promovam seus direitos de forma integral.

Fonte: Undime

https://bit.ly/3uwpQ1f

Compartilhe: