Governo sinaliza prioridade para imunização dos profissionais da educação catarinenses

Previsão é que profissionais da educação de Santa Catarina sejam incluídos no próximo grupo prioritário de vacinação.

Em reunião com o colegiado estadual nesta quarta-feira (12/5), o governador Carlos Moisés reforçou que Santa Catarina pretende incluir os profissionais da educação no próximo grupo prioritário de vacinação. Esta é uma das principais pautas do Comitê Estratégico de Retomada das Atividades Presenciais, grupo intersetorial integrado pela União dos Dirigentes Municipais de Educação do Estado de Santa Catarina (Undime/SC) e por entidades representantes da categoria.

Além de simbolizar o reconhecimento pelo esforço dos profissionais da educação neste período de pandemia, a Dirigente Municipal de Educação de Blumenau/SC e presidente da Undime/SC e Região Sul, Patricia Lueders, destaca também que a iniciativa possibilita dar continuidade às aulas presenciais de forma segura. “A inclusão dos profissionais da educação nos grupos prioritários de vacinação é uma demanda da Undime/SC há meses porque sabemos que esse é o melhor caminho para darmos continuidade ao atendimento presencial dos estudantes de forma segura. A imunização desses profissionais irá beneficiar amplamente a educação no estado”, enfatiza Lueders.

O sistema para cadastro dos profissionais da educação foi elaborado pela Undime/SC, Secretaria de Estado da Educação (SED), Federação Catarinense de Municípios (Fecam) e Sindicato das Escolas Particulares (Sinep). As Secretarias Municipais de Educação realizaram o cadastramento dos profissionais nas unidades de ensino até esta segunda-feira (10/5). Os dados serão sistematizados e importados à versão final do Plano Estadual de Vacinação, que será entregue oficialmente pela presidente da Undime/SC, Patricia Lueders, pelo presidente da Fecam, Clenilton Pereira, e pelo secretário de Estado da Educação, Luiz Fernando Vampiro, ao governador Carlos Moisés e ao secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro.

Planejamento para aplicação das doses

Ainda não há data definida para o início da imunização dos profissionais da educação, já que isso irá depender da quantidade de vacinas que chegarem a Santa Catarina nos próximos dias. Somente para imunização dos profissionais da Educação Infantil, o Governo do Estado estima que serão necessárias cerca de 35 mil doses, na soma entre os que atuam em creches e na pré-escola.

Ao todo, conforme dados do Censo Escolar (Inep), a estimativa é que 195 mil professores e demais profissionais das instituições de ensino Básico e Superior poderão ser imunizados. Para os momentos em que a quantidade de doses disponíveis for menor que a necessária, está prevista a possibilidade de subdivisão dos grupos por idade, o que permite o início rápido e a continuidade da aplicação das vacinas.

O plano de imunização considera a maior vulnerabilidade dos profissionais que estão atuando nas modalidades de ensino presencial ou mista. Por isso, esses trabalhadores integram o primeiro grupo de vacinação, conforme detalhado a seguir:

1º grupo – Profissionais que atuam no atendimento presencial
– Educação Infantil (professores e auxiliares);
– Educação Especial;
– Equipe técnica, administrativa e pedagógica (gestão, limpeza, alimentação, orientadores de convivência);
– Ensino Fundamental (professor, segundo professor, auxiliares, intérpretes de Libras);
– Ensino Médio (professor, segundo professor, auxiliares, intérpretes de Libras);
– Ensino Superior.

2º grupo – Profissionais que atuam em Atividade Remota
(A ordem seguirá as etapas de ensino da vacinação do 1º grupo)

– Profissionais que são do Grupo de Risco para a Covid;
– Profissionais que atuam em atividade remota, EAD ou similares.

Imunização dos profissionais da educação é urgente

Em meados de abril, a Undime/SC entregou um ofício solicitando ao Governo do Estado a inclusão no grupo prioritário do Programa Estadual de Imunização (PEI) de todos os profissionais da Rede Básica de Ensino Catarinense, área considerada como serviço essencial.

No documento, a entidade destaca que, junto aos Planos de Contingência, protocolos e às medidas sanitárias, a imunização pela vacina trará maior índice de segurança e qualidade ao retorno gradual das aulas nas diversas redes municipais e estaduais. Acesse a íntegra do ofício encaminhado: Ofício Circular nº 003 – Vacinação Educação. 

Fonte: Undime/SC com informações da Secretaria de Estado da Saúde.

Compartilhe: