MEC promoveu o primeiro diagnóstico sobre a implementação da BNCC

A ação foi viabilizada por meio de parceria entre Ministério de Educação e o Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora

O Governo Federal está realizando, por meio da Secretaria de Educação Básica (SEB) do Ministério da Educação (MEC) e do Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação (CAEd) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), a primeira Pesquisa de Avaliação e Monitoramento da Implementação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Por meio de um Termo de Execução Descentralizada (TED) com a UFJF, a SEB tem viabilizado a construção colaborativa desse diagnóstico, com a aplicação de questionários e entrevistas a dirigentes, gestores, coordenadores pedagógicos, professores, estudantes e técnicos das redes de educação de todo o país. A primeira etapa contou com a participação de 24.262 entrevistados, que estão distribuídos entre 2 mil escolas de 250 cidades do Brasil.

O coordenador da pesquisa do CAEd, Marcelo Baumann, afirma que o objetivo principal é avaliar a intensidade e o alcance do processo de mobilização em torno da implementação da BNCC na educação infantil e no ensino fundamental. “As informações levantadas a partir de entrevistas com dirigentes estaduais e municipais de educação, e as medidas produzidas a partir de questionários aplicados junto aos profissionais das redes e das escolas estaduais e municipais, convergem no sentido de indicar que a BNCC já é uma realidade no país, incidindo diretamente na forma pela qual os profissionais das redes públicas de educação infantil e do ensino fundamental organizam e pensam sua atividade (…)”, afirmou Baumann.

Luiz Miguel Garcia, presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), contou que o material evidenciou que os educadores reconhecem na BNCC o instrumento para a organização da prática docente e para a garantia dos direitos de aprendizagem dos estudantes. E completou que “isso garante a identidade e a liberdade do estudante brasileiro em todo o território nacional e permite o replanejamento de forma a minimizar e, em médio prazo, sanar as perdas decorrentes deste pedido de pandemia (…)”, afirmou Luiz Miguel.

Nesse sentido, Alice Ribeiro, representante do Movimento pela Base, também afirmou que “o monitoramento oficial da implementação da BNCC realizado pelo MEC, com apoio do CAEd/UFJF, reconhece todo o trabalho que as redes municipais e estaduais têm feito para que essa política estruturante vire realidade na ponta, desde 2018. A pesquisa é inequívoca em apontar que a BNCC-EI|EF de fato chegou às escolas; que é realidade não só do ponto de vista institucional e normativo, mas também do ponto de vista de mudança na prática e cultura educacionais de dirigentes, técnicos, gestores escolares e, sobretudo, de professores de todo o país (…)”, finalizou Alice.

A pesquisa está disponível na plataforma on-line de Monitoramento da BNCC. Além da pesquisa, a plataforma é uma importante ferramenta de transparência para toda a sociedade e em breve contará com outros documentos e informações sobre o monitoramento da BNCC, uma vez que a parceria prevê ainda outras etapas e relatórios. Acesse.

 

Fonte: Ministério da Educação
https://bit.ly/3zYMd2m

Compartilhe: