Presidente dialoga sobre Educação Infantil no pós-pandemia durante Encontro Estadual de Educação Empreendedora

Mediando painel de abertura do segundo dia de evento, que acontece na capital catarinense, entre 14 e 15 de junho, Lueders destacou a importância da escuta ativa das crianças para a elaboração do projeto educativo.

O painel ‘Educação Infantil no pós-pandemia: a importância da escuta das crianças no projeto educativo’, com mediação da presidente da Undime/SC e Região Sul, Patrícia Lueders (DME de Blumenau/SC), deu abertura, nesta quarta-feira (15/6), ao segundo dia de evento do Encontro Estadual de Educação Empreendedora. Lueders trouxe, em sua fala, a importância da escuta ativa das crianças para a elaboração do projeto educativo da unidade escolar, dialogando, ainda, sobre o retorno da primeira infância às aulas presenciais.

“O que ficou da pandemia para a primeira infância?”, refletiu Lueders, ao realizar a abertura do painel. “Eu sempre digo: é preciso tirar das dificuldades as potencialidades. E quantas potencialidades trouxe a pandemia para a primeira infância. Nosso maior objetivo no período pandêmico foi manter as relações com a criança bem pequena, a família e a instituição. Nenhuma infância parou”.

Especialmente neste cenário de pós-pandemia, a presidente destaca a importância de contemplar, por meio do projeto educativo, a escuta das crianças. “Muitas vezes, o adulto tira suas próprias conclusões sobre as falas das crianças, mas é preciso escutá-las, de fato. Escutar a criança é nos permitir sermos sensíveis e afetuosos. Possibilita garantir a cada uma delas o que traz a Base Nacional Comum Curricular acerca das brincadeiras, expressão e interação. Que possamos desempenhar uma escuta ativa que nos permita entrar no mundo das crianças”.

O contexto do pós-pandemia nas escolas, escuta da criança e projeto educativo da Educação Infantil foram eixos que pautaram a palestra, ministrada pela coordenadora do Programa de Estudos de Política Pública para a Educação Infantil e pesquisadora do Núcleo de Políticas Públicas da Universidade Estadual de Campinas (NEPP/Unicamp), Roberta Rocha Borges, e a supervisora do Centro Internacional de Estudos, Memórias e Pesquisas da Infância (CIEMPI) da rede municipal de Jundiaí/SP, Cleane Santos.

“A escola que almejamos para os nossos bebês e para nossas crianças é um lugar que provoca a vida coletiva, é um espaço de aprendizagens significativas. Os bebês e crianças aprendem por ricas experiências que são projetadas no ambiente da escola”, afirma Borges, apontando aspectos que o projeto educativo precisa dar conta a fim de proporcionar, às crianças, significado acerca de suas vivências.

A supervisora do CIEMPI salienta que a escuta precisa ser percebida de forma objetiva como um instrumento que possibilita a reflexão do profissional da educação. “Escuta é um ato de responsabilidade para com as crianças. Quando a gente fala de escuta, nos referimos a um campo da necessidade e da responsabilidade, não é romantismo”.

Para o encerramento do painel, Lueders parafraseou Loris Malaguzzi, precursor da abordagem pedagógica centrada na criança e em suas linguagens: “escutar é suportar o que eu imaginava muitas vezes e não é mais, a partir do momento em que eu escuto o outro”. A presidente ainda trouxe uma síntese acerca das falas que marcaram a conversa. “Aprender a escutar é um exercício intenso, de se perceber suficientemente para estar aberto a compreender o outro. Que possamos ampliar nossos olhares e estar sensíveis à escuta”.

Encontro Estadual de Educação Empreendedora
Voltado aos dirigentes municipais de Educação, coordenadores pedagógicos, orientadores e diretores escolares, o Encontro Estadual de Educação Empreendedora acontece de 14 a 15 de junho, em Florianópolis, com o objetivo de construir caminhos para uma educação de qualidade catarinense, alicerçado em teorias de base científica.

Fonte: Undime/SC

Compartilhe: