“Educação Inclusiva” encerra o ciclo de palestras no auditório principal

Foto: Undime-SC

Foto: Undime-SC

Ivana Antanasio Dias e Kathlen Hass da Rocha aplicaram aos participantes do Fórum da Undime-SC o importante e reflexivo assunto “Judicialização Educacional e Paradigmas da Educação Inclusiva na Prática” 

Durante a programação do 10º Fórum Extraordinário da Undime-SC,  as palestrantes Ivana Antanasio Dias, pedagoga e advogada, e Kathlen Hass da Rocha, coordenadora de educação especial, compartilharam suas experiências de como a função do pedagogo é de suma importância para a inclusão de crianças com algum tipo de deficiência em sala de aula. Uma série de treinamentos, encontros, palestras, que envolvem toda a equipe para dar suporte nessa qualificação, assim como a interação das crianças com seus professores.

“A educação inclusiva é legislação educacional, e quem entende dessa área é o professor, pedagogo e a Secretaria de Educação. E as vezes a gente fica refém dos Ministérios que não é bem entendida ou talvez mal interpretada. Temos que entender essa importância de conhecer no fundo o que é o termo incluir numa escola e qual é o aluno que precisa realmente de uma educação especializada ou de um tratamento de saúde”, comenta o coordenador de colegiais de Videira, Humberto Luiz Dalpizzol.

A Secretaria da Saúde, quando detectado a necessidade, é envolvida nesse processo de adaptação. Cada secretária precisa desempenhar o seu papel, para que o projeto se torne viável a todos os municípios e, cada vez mais, acessíveis aos que precisam.

“Foi uma experiência muito valiosa para todos nós, pelo fato de ser uma espécie de case de um município que já está caminhando em atividades de inclusão, que veio esclarecer e quebrar muitos mitos colocados na educação inclusiva, até mesmo por outras entidades federativas de educação”, Geancarlos Farinon, dirigente Municipal de Educação de Videira, fala sobre o aprendizado proporcionado pelo tema.

 

Undime-SC