Papel dos articuladores de regime de colaboração é tema de webconferência

O papel dos articuladores de regime de colaboração foi o tema de destaque da webconferência promovida pelo Ministério da Educação (MEC) na tarde da última quarta-feira (4). Disponibilizado no canal do YouTube, a palestra virtual reuniu articuladores de todos os estados brasileiros e contou com a participação do Dirigente Municipal de Educação de Alto Santo/ CE e Presidente da Undime, Alessio Costa Lima, do superintendente de Políticas para a Educação do Mato Grosso do Sul, Hélio Daher, representando o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), e do coordenador-geral da Diretoria de Currículos e Educação Integral do MEC, Danilo Leite.

Palestrante convidado, o Presidente da Undime, Alessio Costa Lima destacou que os articuladores cumprem uma função-chave no trabalho de construção dos currículos estaduais, à medida que informam, mobilizam e integram gestores. “A qualidade da colaboração dependerá do trabalho dos articuladores indicados pela Undime e estes farão a diferença no regime de colaboração em cada estado. Esta estrutura da Rede Estadual de Currículos foi pensada justamente para consolidar este modelo e por isso deve acontecer em bases horizontais, de modo unificado e democrático, com a participação de todos e por isso cabe ao articulador assegurar a representação de estados e municípios”, afirmou.

Segundo o professor, a importância da função também ultrapassa o momento presente, cumprindo o papel de ponto focal das informações, e projetará a efetividade das políticas que vierem a ser implantadas nas esferas municipais, estaduais e federal.

“O trabalho dos articuladores não se esgota apenas na difusão das informações e na elaboração do texto em si. Temos que ter claro os ganhos quando se trabalha coletivamente. Tudo o que está sendo executado agora influenciará o que virá a ser realidade nas escolas do nosso país, na formação que será dada a professores, na efetiva implementação dos currículos na prática, além de incidir sobre a efetividade das políticas, desde o modo como serão encarados nos mecanismos de avaliação externa, influenciando até mesmo a aquisição de materiais pedagógicos no futuro, para que os direcionamentos dados agora se reflitam ali”, elencou.

A fala do dirigente da Undime foi complementada pelo representante do Ministério, que esclareceu a expectativa do MEC em relação à atuação dos articuladores. “Estes têm a função, também, de ajudar a qualificar a participação do município, seja elaborando uma nota técnica ou parecer ou no processo de promover as consultas públicas, chamando interessados a debaterem os assuntos no momento propício”, afirmou. Danilo Leite explicou ainda que além da transferência de recursos e pagamento de bolsas, o MEC tem a responsabilidade de promover encontros, seja a distância ou presenciais, fornecendo materiais e apoio técnico às equipes estaduais.

Porta-voz do Consed, Hélio Daher, resgatou o papel das secretarias estaduais de educação na consolidação da política, a importância do regime de colaboração para a elaboração dos currículos e frisou os ganhos da parceria entre as três entidades. “Sem a parceria entre MEC, Undime e Consed este trabalho não seria possível”, disse. 
Como representante da equipe responsável pela elaboração da proposta curricular no Mato Grosso do Sul, o superintendente creditou o sucesso da entrega do currículo à capacidade de articulação entre estado e município e entre municípios durante o processo de elaboração da política

É possível assistir o debate na íntegra no canal da Secretaria no Youtube.

 

Fonte: Undime