Encontro do Programa Volta ao Novo aborda competências socioemocionais nesta quarta (20)

Promovida pela Undime/SC, em parceria com o Instituto Ayrton Senna, terceira formação virtual abordou a importância de trabalhar as competências socioemocionais nas escolas para o desenvolvimento integral dos alunos. 

Propondo reflexões sobre as competências socioemocionais, a terceira formação do Programa de Desenvolvimento de Competências Socioemocionais – Volta ao Novo SC, promovida pela Undime/SC, em parceria com o Instituto Ayrton Senna, foi realizada nesta quarta-feira (20/10), por meio de videoconferência. Voltado aos agentes multiplicadores dos municípios catarinenses, o evento contou com a participação da formadora nos Programas de Desenvolvimento Socioemocional do Instituto Ayrton Senna, Edna Borges.  

Citando a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), a formadora destaca a importância de trabalhar com intencionalidade as competências socioemocionais nas escolas para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes. “A BNCC lança luz ao desenvolvimento socioemocional quando traz as 10 competências gerais. Ela mostra que a educação precisa conversar com o mundo fora da escola. Cada vez mais, é necessário que o que está sendo falado em sala de aula faça sentido para o estudante. Esse ‘fazer sentido’ é dialogar com a vida”, afirma Edna Borges. 

Para o desenvolvimento das competências socioemocionais nos ambientes escolares, a formadora destaca que o planejamento é essencial. “Quando eu trabalho com intencionalidade acerca da competência, eu tenho um resultado. Não é sobre ter somente uma aula de competências, mas, sim, planejar momentos significativos em sequência”. A fim de auxiliar o entendimento sobre a aplicação prática da temática, a formadora apresentou um modelo organizativo das cinco macrocompetências (abertura ao novo, autogestão, engajamento com os outros, amabilidade e resiliência emocional) proposto pelo Instituto Ayrton Senna.

Quando o professor se propõe a trabalhar com intencionalidade as competências socioemocionais, Edna destaca que é iniciado um processo de autoconhecimento. “As competências socioemocionais são influenciadoras no modo como uma pessoa pensa, sente, decide e age em determinada situação ou contexto. Por isso, desenvolver essa prática em sala de aula é trabalhar o autoconhecimento, tanto dos alunos quanto do próprio professor”. Entendendo os ambientes escolares como espaços sociais e emocionais, onde as “competências socioemocionais podem e devem ser desenvolvidas”, Edna reitera a necessidade de se pensar a Educação para além dos sistemas tradicionais de avaliação. 

Volta ao Novo em SC

Em Santa Catarina, a iniciativa conta com uma equipe de articulação composta pela assessora pedagógica da Undime/SC, Sônia Fachini, pela psicóloga da SME de São José (SC), Ana Brasil de Oliveira, e por Anelize Schlosser, da SME de Blumenau (SC). 

Com o objetivo de  propiciar apoio e acolhimento aos professores e estudantes dos municípios, por meio de diálogos formativos e conteúdos vinculados ao desenvolvimento das competências socioemocionais, outras duas formações já foram oferecidas aos agentes multiplicadores dos municípios catarinenses.

Compartilhe: